04/10/2012

PODES
Podes pintar de negro as flores de primavera
rasgar todas as cartas
queimar livros e recordações
podes fazer do mar um enorme deserto de sal
inventar palavras novas para dizer tristeza e saudade
podes abolir as manhãs de domingo
apagar do céu o brilho do luar
enganar a pele e dizer que é de frio
o arrepio que julgava de paixão
podes deixar de ser
e fazer com que tudo à tua volta
não seja e
não exista
podes fingir que é um jardim colorido
o monte de terra seca que te suja os sapatos
podes ficar ou partir
regressar ou permanecer
podes esperar ou desistir.
Podes fazer tudo aquilo que quiseres
podes mesmo não fazer abolutamente nada.
Só não podes apagar o amor.

 
 Nelleke Verhoeff





4 comentários:

  1. Não há que resistir a tanto sentir travestido de eloquência.
    Gostei!

    Bj

    ResponderEliminar
  2. Ainda que o apagássemos, suspeito que ressurgiria, deve ser escrito em tinta mágica...

    ResponderEliminar