18/08/2012

SILÊNCIO
Calem-se as mãos porque hoje não quero escrever.
Mora em mim um silêncio que quero preservar.
Longe de palavras  
murmúrios
ou do mais ténue sussurrar.
Livre da tinta negra que a brancura do papel gosta de violar.
Calem-se as mãos.
Deixem-me apenas ouvir o mar.

aurelique.tumblr.com



3 comentários:

  1. Quem dera o calar das mãos silenciasse a alma...
    Lindo! E a foto é perfeita!
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Minha 1ª visita.
    Gostei do que li.

    Saudações poéticas!

    ResponderEliminar