30/10/2012

DOR

Dói em mim uma madrugada cansada
lateja ainda a dor
persistente
na vertigem nauseada que tenho no peito
no mesmo pedaço de pele
onde a tua mão sempre repousa
quando os pássaros esvoaçam e
respiramos o mesmo abraço.





                                                  
                                                                            

4 comentários:

  1. Não me surpreende a tua capacidade de transmitir, também na dor, tanta beleza, pois tu és LINDA!
    Fernanda

    ResponderEliminar
  2. Não existem madrugadas eternas

    talvez por isso sejam belas

    ResponderEliminar
  3. e respirar o mesmo abraço

    já é tanto

    tanto

    beij

    ResponderEliminar